Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

ACUPUNTURA - A MENTE (SHEN)





Pessoal, vamos falar agora sobre um assunto controverso dentro da MTC: a mente!
Controverso pelo fato de muitos não conseguirem subtrair conceitos ocidentais para então compreender o raciocínio oriental sobre o tema.


Para começar, mente ou Shen, é uma das cinco substâncias vitais.
Apesar de ser um aspecto menos material possível, ela é uma forma de agregação de Qi mais sutil, sublime.
Logo se ela é uma substância, podemos manipulá-la (com a acupuntura pelas agulhas, com a fito por ervas etc...).
O Shen é formado em parte pela Essência (Jing, outra substância) dos pais durante a concepção e pelo Qi dos alimentos que a nutre, enquanto o Xue e o Yin do Coração fornecem sustentabilidade. Essas três fontes (Jing, Qi e Shen) são chamadas de Três Tesouros (San Bao) pois garantem nossa constante atividade mental. Qualquer condição que afete uma delas, indiretamente afeta as demais.

Bem, determinar que o Shen se resume ao que chamamos de "mente" também é pequeno...
Shen é a nossa consciência, nosso pensamento, memória, perspicácia, raciocínio, inteligência, idéias, sentimentos, afetos, percepção etc.



Dentro dos conceitos de "doenças do Shen" vemos comumente os termos "Shen agitado", "transtornado", "desalojado"...
Não creio que são termos esclarecedores.
Parecem aproximações de traduções de textos chineses.
Prefiro raciocinar em como os fatores etiológicos podem interferir na nossa "mente" e claro que em casos extremos onde houve hemorragia excessiva e desnutrição o Shen deve realmente estar transtornado! (risos).

Enfim, esse é mais um adendo da psicossomática chinesa.
Se até nossos "pensamentos e emoções" - nosso Shen - são substâncias, como nossas relações afetivas não influenciariam no funcionamento orgânico?

Baço-Pâncreas: a nossa terra!



Pessoal, vamos começar a falar de Zang-Fu (nossos órgãos vitais e as vísceras que os auxiliam).
Para introduzir o assunto, temos no corpo cinco órgãos principais, ou vitais, que são responsáveis pela produção, armazenamento e distribuição de nossas cinco substâncias vitais.
Já vimos algumas delas, porém podemos dividi-las em pré-celestiais (aquelas que nos são passadas pela concepção como o Jing e parte do Shen) e outras pós-celestiais que são produzidas e aprimoradas no nosso corpo pelos órgãos vitais com base na nossa Essência (Jing) e/ou pelos alimentos, bebidas e pelo ar que "ingerimos".

O órgão vital que está no centro de toda nossa produção de substâncias é o Baço-Pâncreas (Pi).
Para o Chinês, o Baço e o Pâncreas funcionam conjuntamente por isso que quando nos referimos ao Baço sempre consideramos o Pâncreas junto.
Passarei a utilizar a denominação em Chinês: Pi, ou pelo seu elemento representativo no corpo: a Terra.

Ah sim, na MTC temos ainda essa outra peculiaridade: os Cinco Movimentos ou Wu-Xing.
O Chinês, muito observador, viu que sofríamos de sintomas similares a elementos da natureza e que funcionávamos, em parte, como tal.
Para cada um dos cinco órgãos existe um elemento correspondente, no caso do Baço é a Terra.
Como é da Terra que provém nossa nutrição, nada mais apropriado para o Baço que é a origem de toda nossa formação de substâncias (pós- celestiais) e logo nossa nutrição.
É por isso nosso ponto central da fisiologia e patologia, motivo pelo qual escolhemos para iniciar os esclarecimentos a cerca dos Zang-Fu.

As funções do Pi são realizar a transformação do que comemos em GuQi.
Esse é um Qi matricial, ou que será aprimorado pelos outros órgãos nas demais substâncias como o próprio Qi (mais aprimorado para realizar suas funções), Xue (Sangue), parte do Shen como vimos, Jin Ye (líquidos e fluidos corporais).
Pelo "adoecimento" dessas quatro substâncias, interferimos indiretamente na "saúde" da nossa quinta substância: o Jing (Essência).
Logo se sofremos de desarmonias das substâncias, provavelmente nossa Terra está "doente".


O Baço ainda tem a função de levar esse GuQi para o alto, ou seja sua energia é ascendente.
Por esse motivo, ele ainda tem a função de sustentar a posição das vísceras (quanto temos prolapso das veias nas hemorróidas, provavelmente o Baço está fraco na sua função de sustentação dos órgãos).

Outra de suas funções é a dar força e vivacidade aos músculos de todo o corpo incluindo os das artérias.
Doenças como varizes e hemorragias espontâneas são provenientes das desarmonias do Baço.

Também é esse Zang que nos assegura o paladar. Vimos, no post sobre as cinco emoções, que o Baço é a residência do intelecto (Yi) e por isso é o "mantenedor" dos nossos pensamentos.
Situações que exigem pensamento constante como o estudo ou trabalhos mais intelectuais, o Baço normalmente fica enfraquecido.

O Baço é o Zang que mais sofre com nossos hábitos ocidentais irregulares de alimentação.
Aliás, ele realmente "sente" muito pois é a partir de sua energia que as outras (substâncias) são criadas.
Ou melhor, ele é um órgão de doação, gasta seu próprio Qi e Jing para assegurar que todos os processos fisiológicos tenham prosseguimento através dos produtos de seu trabalho.
Por isso aqui vão alguns cuidados:

Evite comer alimentos crus pois são difíceis de serem digeridos se comparados aos cozidos.

Tente fazer suas refeições em horários regulares rigorosamente.
Funciona como se o Baço não tolerasse essas beliscadinhas que costumados dar.
O nosso metabolismo é constante, mas se a todo instante ingerirmos mais comida, "cansaremos" mais o Baço.

Evite comer coisas pesadas e alimentos "úmidos" ou que gerem "umidade".
Esse é talvez um assunto para um post inteiro, mas aqui posso adiantar que quando o Baço não está bem, ele gera umidade e que a própria ingestão de umidade dificulta seu funcionamento.
É um ciclo vicioso!
Alimentos que comumente geram umidade são o leite de vaca em grande quantidade e seus derivados, alimentos e bebidas gelados (o Baço gosta de tudo morninho), cerveja, álcool em demasia, alimentos gordurosos etc.
Também devemos evitar o excesso, comer demais implica em digestão demorada e se o seu Baço não for como o de um avestruz, provavelmente sofrerá consequências.
Pensar ou se preocupar demais também é nocivo.
Afinal não conseguimos resolver tudo apenas com o poder da mente.
Exercícios físicos também são benéficos para o Baço, aliás para todo o corpo.
http://acupunturacorpoealma.blogspot.com.br/2012/03/mente-shen.html


A Acupuntura e o Baço-Pâncreas






Na realidade o baço e pâncreas, como já foi dito são estruturas distintas, mas que energeticamente executam a mesma função, juntamente com o estômago, que completa a relação órgão - víscera.
As estruturas regidas são: todo o sistema linfático, inclusive amígdalas, em parceria com o pulmão, o timo, os músculos e a boca.

Do ponto de vista emocional, o que afeta a energia do baço-pâncreas são as preocupações, as idéias fixas, as obsessões, tudo o que usar demais o pensamento e a reflexão.
A diminuição da memória também pode ocorrer nas patologias associadas ao baço-pâncreas.

Isto a nível prático podemos ver nas doenças mais comumente associadas ao baço-pâncreas que são o diabetes e as obesidades.
Então, aí vão dois conselhos: não se preocupe em demasia.
Preocupar-se (ocupar-se antes), em excesso, geralmente faz com que atuemos pouco, além de lesar o baço-pâncreas.
Evite o excesso de atividade intelectual, sem pausas para lazer que, além de lesar o baço-pâncreas, faz diminuir o rendimento, aumenta a vontade de comer doces, e faz crescer a barriga.
E pior ainda, em alguns casos, tudo isto de uma só vez.

Recomendações: preocupar-se só o necessário, e durante o menor tempo possível.
Quando estiver estudando continuamente, programar-se para fazer pausas regulares para lazer, ou simplesmente fazer nada, sem sentimento de culpa, com certeza seu rendimento vai ser bem melhor.
Energeticamente o baço-pâncreas é responsável pela captação da parte yin da nossa energia que vem dos alimentos.
Suas funções estão ligadas à digestão, transporte e armazenamento.
Neste processo ocorre a separação de puro do impuro.

O que for puro vai ser encaminhado ao rim para se juntar à parte yang que veio do pulmão, e formar a nossa energia vital adquirida.
Quando este processo é perturbado de alguma maneira surgem as doenças ligadas ao excesso de armazenamento, que são as obesidades em suas formas ou as ligadas à má absorção, que são os quadros carenciais, as anemias, as anorexias, em suma, um baço-pâncreas em desarmonia pode levar tanto a um quadro de obesidade quanto a um quadro de magreza extrema.

Um dos primeiros sinais de que o baço-pâncreas não está bem é a sensação de peso no corpo, de moleza, sonolência.
Isto basicamente se deve ao excesso de umidade que se acumula no organismo, que pode ser de origem climática.
Isto acontece quando chove muito ou quando vamos para a praia.
A causa pode ser também de origem alimentar, quando comemos muitos doces, verduras cruas ou frutas por tempo prolongado ou quando simplesmente comemos demais.

As patologias que ocorrem na boca são em parte associadas ao baço-pâncreas, como as gengivites, em parceria com o estômago, as aftas.
Na realidade, a boca é a abertura externa do baço-pâncreas, assim como o nariz é a do pulmão.
Energeticamente o baço-pâncreas faz a energia descer, enquanto o estômago a faz subir.

Ele também mantém tudo em seu lugar.
Por isso as quedas de útero, de bexiga, as papadas caídas, a "barriga em avental", os seios caídos são ocasionados pela diminuição da energia do baço-pâncreas.
Quem mantém o sangue dentro dos vasos também é o baço-pâncreas, quando isto não ocorre, vamos ter as hematúrias, as hemorragias uterinas, os hematomas espontâneos.

Quando temos náuseas ou vômitos é sinal de que o estômago não está mandando a energia para baixo, e por isso as coisas tendem a subir e, às vezes, aparecem os vômitos.
Com o baço-pâncreas já acontece o oposto, se ele não executa suas funções, as coisas não ficam no lugar e tendem a descer, e aí vem as diarréias.

Então, quando o baço-pâncreas está desequilibrado, os sintomas vão estar quase sempre ligados à presença de umidade, seja ela do ambiente externo, ou provocada pela alimentação inadequada.
Mas a correção deste desequilíbrio sempre passa pela alimentação, porque a principal função do baço-pâncreas está ligada à assimilação dos alimentos.

Esta função voltará a ser abordada na parte em que tratarei das obesidades.
Em relação ao sabor, quando o baço-pâncreas está desgastado surge o desejo de coisas de sabor doce que, para ser benéfico, deverá ser satisfeito, mas com moderação.
Na verdade, a nossa alimentação do dia a dia deve ter um pouco de cada sabor (azedo, amargo, doce, picante e salgado), porque aí vamos estar tonificando todos os órgãos.

Por Fábio Pisani- Trecho de seu livro Médico Acupunturista fpisani@uol.com.br
http://www.fabiopisani.med.br/artigos/a-acupuntura-e-o-baco-pancreas
http://www.caminhantes2.com/page_69.html