Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

A IMPORTÂNCIA DA GRATIDÃO AOS ANTEPASSADOS:



A IMPORTÂNCIA DA GRATIDÃO AOS ANTEPASSADOS

Agradecer aos antepassados

Nós pudemos nascer graças aos nossos pais. E eles também nasceram graças aos seus respectivos pais. Visto isto, podemos compreender que a nossa existência se deve a um grande número de pais e mães que viveram no passado. Nossos pais têm ou tiveram, cada qual, um pai e uma mãe; logo, temos dois avôs e duas avós. E estes também tiveram, respectivamente, um pai e uma mãe; portanto, na geração dos nossos bisavós, eram oito pessoas; quatro pais e quatro mães. Na geração anterior, eram 16, e antes dela eram 32. Dez gerações atrás, eram 1.024 pessoas. Vinte gerações atrás, ultrapassavam a casa dos 1.000.000 (um milhão). É um número espantoso de pais e mães que pertenceram a uma mesma árvore genealógica e aos quais estamos ligados por sangue. E não devemos esquecer que cada um deles exerceu um papel importante dentro dessa árvore genealógica, pois, se tivesse faltado um deles, não teríamos nascido.
(TANGUCHI, Masaharu. Como Educar os Filhos. In: Acendedor. No 100. 1973. p. 12.)
O solo é Deus, as raízes são os antepassados.
Sendo o corpo carnal a projeção da mente, se você estiver nutrindo sentimento de ódio ou ressentimento em relação aos pais, essa atitude mental manifestar-se-á imediatamente no seu corpo carnal. Lembre-se de que “o solo corresponde a Deus, as raízes correspondem aos pais, e os ramos e as folhas correspondem aos filhos; para que os filhos (ramos) tenham belas flores e bons frutos, devem amar os pais e cultuar os antepassados”.
(TANIGUCHI, Masaharu. Às Pessoas que Padecem de Doenças. In: Acendedor. No 103. 1973, p. 12.)
O Sentido da cerimônia em memória dos antepassados
1) Por ser filho de Deus, o ser humano é perfeito e completo desde o princípio; não necessita que lhe seja acrescida coisa alguma. Esta é a Verdade fundamental. Se algum espírito vive em dificuldade no mundo espiritual e pensa que, para ser salvo, precisa de um memorial dedicado a ele, é porque está apegado a formas materiais. Tal espírito ainda não se conscientizou da sua natureza divina. Espíritos conscientes da própria natureza divina dispensam cerimônias em sua homenagem.
2) Existem espíritos que ainda não alcançaram a iluminação e continuam presos às sensações da vida terrena; eles sentem fome, dor, carência etc. Devemos ajudá-los, oferecendo-lhes o que eles necessitam. Realizar cerimônias em memória dos antepassados, em conformidade com a religião tradicional da família, é um meio de proporcionarlhes paz e conforto.
(TANIGUCHI, Masaharu. Melhore seu Destino Orando pelos Antepassados, p. 43).
Devemos somente agradecer
A Seicho-No-Ie nos ensina que devemos orar aos antepassados, que devemos agradecer a eles, não como condição para sermos felizes. Devemos somente agradecer. O importante é agradecer somente. [...] Se, na hora de orarmos aos antepassados, o fazemos reconhecendo a existência de espíritos em ilusão, não se torna verdadeira oração de gratidão, por melhor que seja a forma de orar. Ler a Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade diante do oratório dos espíritos dos antepassados indubitavelmente é a maior oferenda, o melhor modo de dedicar-lhes orações. Mas não porque eles sejam espíritos em ilusão; é porque a Verdade torna-se o maior nutriente, o melhor alimento para os espíritos que se encontram em processo de desenvolvimento infinito.
O mestre Masaharu Taniguchi escreveu o seguinte nas “Palavras da Verdade do Mês”, na revista Seicho-No-Ie de novembro de 1971: Palavras do dia 24: “Quando realizar a leitura da Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade diante das almas dos antepassados, deve fazê-lo unicamente com o sentimento de gratidão e reverência”. Palavras do dia 25: “Não deve se dirigir aos antepassados ‘Vós, espíritos em ilusão...’”. Palavras do dia 26: “Quem está em ilusão não são as almas dos antepassados, é você”. Nas Palavras do dia 27, então, o Mestre declarou claramente:
“Não existe um só espírito que esteja em ilusão”. No entanto, certas pessoas andam afirmando que acontecem infelicidades por culpa dos espíritos dos antepassados em ilusão. De onde trouxeram isso? Trata-se de um tremendo engano. A Seicho-No-Ie deve ser Seicho-No-Ie, pois, do contrário, será confundida com outras seitas, e acabará parecendo superstição.
(FUJIWARA, Toshiyuki. Você Será Salvo Infalivelmente, 2005, p.218)
O desaparecimento dos carmas
É importante esclarecer o seguinte: é um equívoco pensar que o carma só desaparece quando o espírito dos antepassados conscientiza a sua ilusão, por força da leitura da sutra sagrada que lhes oferecemos. O carma dos antepassados desaparece quando purificamos nossa própria mente! Da mesma maneira, é engano pensar que seja necessário cultuar a alma das crianças abortadas porque elas estão perdidas e sofrendo no mundo espiritual. O sofrimento da criança é produto da idéia de pecado existente na mente dos pais! De nada adianta gastar uma fortuna com cultos se os pais mantiverem em seu subconsciente a sensação de ter cometido pecado.
(KUSUMOTO, Kamino. Pela Paz dos Anjinhos, p. 193).
Alegria da leitura da Sutra Sagrada
“Mesmo que reverenciemos os antepassados, não basta fazermos isso de modo formal, apenas por costume, como colocar oferendas diante do altar e reverenciar, curvando-nos. Deus é Verdade, nossos antepassados também são Verdade; logo, para reverenciá-los, devemos fazê-lo com toda a sinceridade, de todo o coração. Oferecer com espírito de gratidão aos antepassados, leitura de sutras sagradas, cujas palavras são alimento para o despertar espiritual, constitui a mais sublime oferenda que existe. [...] Consta aqui que “oferecer aos antepassados a leitura de sutras sagradas constitui a mais sublime oferenda que existe”.
(KUSUMOTO, Kamino. Alegria de Cultuar os Antepassados; 1a ed.; cap.5, p. 145).
Observação sobre a oração às almas de crianças abortadas
É importante cultuar os antepassados com sentimento de gratidão e retribuição, enquanto que os abortados devem ser cultuados com amor, carinho e arrependimento.
(KUSUMOTO, Kamino. Alegria de Cultuar os Antepassados; 1a ed.; cap. 5, p. 150)
Receber orações no Santuário Hoozo significa participar, no mundo espiritual, do Movimento de Iluminação da Humanidade
Ser cultuado no Santuário Hoozo significa participar, no mundo espiritual, do Movimento de Iluminação da Humanidade sob a orientação de Deus, e é diferente de ser cultuado em templos e mausoléus. Os antepassados de todos os adeptos da Seicho-No-Ie, assim como os membros já falecidos que pertenceram ao movimento, passam a trabalhar no mundo espiritual, em prol da felicidade, não só dos indivíduos, mas de toda a humanidade.
A este respeito, o Mestre assim escreveu no volume 21 da coleção A Verdade da Vida: “É um erro pensar que participam do nosso Movimento de Iluminação da Humanidade somente pessoas encarnadas. Dele participam também espíritos elevados que, do mundo espiritual, enviam vibrações mentais de auxílio e proteção. Por exemplo, quando um adepto da Seicho-No-Ie transmite aos seus semelhantes a Verdade que mal assimilou, muitas vezes ocorre a cura repentina da doença considerada incurável, sem que o enfermo também tenha compreendido bem a Verdade da inexistência da doença. Isso ocorre porque as poderosas vibrações mentais de luz enviadas pelos espíritos elevados destroem as vibrações mentais de ilusão.
(KUSUMOTO, Kamino. Alegria de Cultuar os Antepassados; 1a ed.; cap.6, p. 189)
O que devemos observar aqui é o fato de, quando se realiza o culto aos antepassados através de registros espirituais, os familiares dessas almas resolveram tornar-se membros da Missão Sagrada. Por que acontece isso? É porque os registros espirituais são depositados e cultuados no Santuário Hoozo, o que leva essas almas cultuadas a tomarem conhecimento da Verdade pregada pela Seicho-No-Ie e começarem a trabalhar em prol do Movimento de Iluminação. E esses antepassados passam a orientar seus descendentes.
(KUSUMOTO, Kamino. Alegria de Cultuar os Antepassados; 1a ed.; cap.6, p. 263)
Seicho-No-Ie Ji-Paraná
Avenida Aracajú, entre T-7 e T-8 - Nova Brasília
snijipa@gmail.com