Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

A SENDA SOLITÁRIA DOS QUE BUSCAM A VERDADE ABSOLUTA!!!




Estamos tão acostumados a viver na densidade da dualidade, dentro de interações e contextos destrutivos e negativos, que passamos a nem mais perceber os malefícios que isso nos traz. Há milênios vivemos dentro destas condições de vida e isso passou a ser “normal” para nós, já nascemos vida após vida, mergulhados em situações altamente perigosas, enganosas, doentias, tristes e de grande sofrimento, já nascemos prisioneiros do medo e das ilusões e isso, com o passar do tempo foi se tornando a nossa “realidade” e o ser humano se adaptou, pois a condição humana sempre nos traz as possibilidades de adaptação a tudo o que tivermos que viver e isto é excelente. O problema é que o ser humano se adaptou cada vez mais ao que é destrutivo, negativo e perigoso, criou inúmeros mecanismos de defesa, estratégias de sobrevivência, anestesiou-se e entorpeceu-se, para sobreviver ao sofrimento e às dores da condição humana e se acostumou a isso.


A capacidade de adaptação, quando usada para momentos específicos, até que haja um desenvolvimento de capacidades para gerar mudanças é ideal, pois conduz à aceitação e ao aprendizado da lição que a alma impôs, mas o excesso leva a um estado de “zumbi”, do qual, depois de longos períodos vivendo nele, o ser humano já não consegue sair, pois a “condição zumbi” se tornou sua realidade, já se adaptou às crenças limitantes, ao medo, à ansiedade, à repressão da raiva e de tantos outros sentimentos e emoções.



Tornamo-nos seres humanos embotados em nossos sentidos, sentimentos e emoções, apenas reforçando as crenças limitantes de que não podemos ser quem realmente somos e temos que ser aquilo que está pré-determinado por um “sistema energético”, como um holograma de limitações, um molde, pelo qual todo ser humano passa ao adentrar uma nova vida. Dentro desse holograma limitado, já recebemos a “pré-formatação do zumbi” ideal e aceitável pelos padrões de limitações estabelecidos dentro deste imenso sistema oculto (criado pelo inconsciente coletivo) que opera na face da Terra, em níveis vibracionais.


Tudo o que vivemos e percebemos com a mente consciente, é pura ilusão, o que ocorre nas dinâmicas ocultas de nossas interações com o mundo é a verdadeira realidade. Um zumbi nada questiona, ele simplesmente aceita suas condições, se torna frio e distante, acredita que está vivo, quando na verdade “não existe”, até o momento em que de verdade se abre para o AMOR, para a sua própria alma que está aprisionada em seu ser. Mas o zumbi, ao passar pela formatação energética recebeu a informação de que qualquer outro estado que ele tentasse alcançar dentro dos níveis da 3D, estados de despertar ou de mudanças de atitude que influenciasse os demais, trazendo “malefícios” para todos, ele seria punido com aquilo que mais desespera todo ser humano: a exclusão, a rejeição e o abandono. Diante destas ameaças implícitas nas condições o zumbi nem ousa ser a expressão de sua essência divina, ele já nasce sabendo que terá que apagar sua luz para não despertar o desprezo ou qualquer outra reação destrutiva por parte daqueles que não conseguem lidar com a luz e com o amor.


Porém, nos tempos atuais inúmeros seres humanos já vieram pré-formatados em outros hologramas de luz e informação, mas apesar de virem preparados para o verdadeiro despertar, também passaram pelo holograma zumbi, como base, para saberem e sentirem o que é ser um zumbi que desperta em busca de soluções para a transcendência deste estado, para ajudar o Todo. Estes novos seres vêm com novas características que precisam ser trazidas à realidade humana, são como “protótipos da condição humana mais aperfeiçoada possível” dentro da 3D, que são as possibilidades de voltarmos a ser os seres humanos conscientes e sábios que já fomos no tempo das civilizações antigas. É muito difícil despertar na “zubilândia”, pois quando alguns se tornam mais vivos, na abertura para a Luz e o Amor, a maior dificuldade que encontram é terem que enfrentar as pessoas que começam a reagir contrariamente ao seu novo estado, numa tentativa de impor ao novo ser que volte a ser zumbi.


A Luz e a força do Amor que começa acontecer no coração daqueles que verdadeiramente buscam a Verdade Absoluta, que contém todas as informações de Luz e Amor, é forte e maravilhosa, porém, é tudo muito novo e estes sentem dúvidas quanto ao caminho que devem seguir. Ter a força e a certeza de que são portadores de códigos sagrados, para trazer Luz à humanidade é muito poderoso, mas é difícil ter que enfrentar as resistências de todos aqueles que não querem mudanças reais, mas sim, apenas saírem de seu sofrimento, buscando mais do mesmo disfarçado de novo, só para rearranjarem as coisas na zona de conforto. Chega um ponto no processo de real despertar, em que sentimos muita dificuldade em mudar verdadeiramente, pois agora já entendemos e aceitamos tudo o que nos acontece e isso nos tira da dor e nos traz conforto, mas cria uma forte resistência em sairmos deste patamar, deste velho nível de vida, pois o caminho para além do velho e ilusório é muito solitário, temos medo de nos tornarmos tão diferentes dos outros e tão rejeitados por eles, que não compreendem o que de verdade buscamos e por se sentirem mal com nossa presença luminosa, que começamos a criar, inconscientemente, intolerância e imunidade à Luz e ao Amor, ao invés de abraçarmos essa força para transcendermos as ilusões.


Sim, apesar de sabermos que é isso que mais desejamos, o tempo de zumbis nos marcou profundamente, uma parte de nós não quer mudar, a sombra e a dor já foram nossa realidade, criamos tolerância e desativamos nossa imunidade a alguns elementos nocivos ao nosso ser, em todos os nossos níveis e passamos a ficar confortáveis com “coisas ruins” para podermos nos sentir falsamente pertencentes a um meio. Foi isso que aprendemos e, agora, com o despertar, não se trata mais de mudar nossa falsa realidade, mas sim de transcendê-la. A parte de nós que ainda ignora a verdade, acha que a transcendência para a vida na Luz e no Amor será dolorosa demais pela solidão que isso implica.


Porém, neste novo nível passamos a interagir com grupos de almas, em níveis elevados de consciência, com as quais começamos a criar relações poderosas, de nutrição, apoio e amor, sem mesmo que nos conheçamos. A solidão, num primeiro momento, acontece somente nos níveis “físicos”, mesmo estando com várias pessoas, nos sentimos deslocados, diferentes, tristes e vazios, pois com esse grupo físico apenas interagimos de “ego para ego”, as relações mais reais e profundas acontecem em níveis que a mente racional não percebe e por isso ela acredita que a solidão é o que nos espera quando abrimos mão da vida confortável e segura de zumbis. É uma fase pela qual passaremos, com aceitação, pois a certeza de que em algum momento poderemos encontrar essas almas afins em nossa realidade física, nascerá em nosso coração e nos trará a coragem necessária para despertarmos integralmente, independentemente das sensações intensas de sermos verdadeiros “ET’s”, incompreendidos, os “errados”. Compreender e aceitar esta nova condição de quem desperta, é fundamental para que possamos nos fortalecer e prosseguir na senda da busca pela Verdade Absoluta. E o Amor estará lá, nos esperando para nos envolver e nos fortalecer, para que possamos iluminar os caminhos daqueles que começam a despertar...



Fonte- www.stum.com.br/Teresa Cristina Pascotto
Por Mavi Hostettler/www.essencia.ning.com
imagens Internet
******Este trabalho pode ser compartilhado com outros
sites desde que os direitos autorais sejam
respeitado citando a fonte de pesquisa / autor e o link.
Obrigado por incluir o link de nosso website quando
compartilhar este trabalho com outros. (MaviHostettler)