Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

MARIA PADILHA - NEM ANJO, NEM DEMÔNIO











Áudio
Nem anjo, nem demônio.

O papel de um guardião é o papel daquele que vem para o seu resgate, para o seu amparo e para a sua cura.

Eu tenho aqui a oportunidade e o compromisso de contar a minha história. E assim o farei.

Na minha caminhada humana, eu tive várias existências onde o amor foi à tônica... A coisa mais importante, aquilo que gerou os meus pensamentos, os meus hábitos, as minhas palavras. Aquilo que direcionou o ar que eu respirava e toda e qualquer atitude que eu tinha.

Porém, era um amor egoísta. Porque eu queria as coisas pra mim. Eu queria o foco do amor pra mim. E
achava que os resultados justificavam todo e qualquer ato.

E como eu tinha um foco do amor direcionado a uma pessoa, aquilo me dava o direito de passar por cima de qualquer outra pessoa que cruzasse o meu caminho. Me dava o direito inclusive, de passar por cima de mim mesma, tornando o outro mais importante do que eu.

Com isso, eu criei um pedestal para aquele que eu amei. Tornei Rei do meu mundo, senhor das minhas vontades. Mendiguei, me expus... Tudo por amor, porque eu achava que o amor era tão belo e que justificava qualquer atitude.

E isto causou uma profunda decadência moral, uma decadência da minha vibração, dos meus sentimentos. E por conta disso, de querer tanto amar e de buscar essa realização, acima de qualquer coisa...

Eu fiz muitas escolhas erradas, vários abortos. Porque eu acreditava que era correto buscar um intento do meu sonho, do meu desejo e da minha felicidade.

E eu não tinha o entendimento que vocês têm hoje, da ação e da reação, do retorno das palavras, do retorno das atitudes... Daquilo que eu estava causando para mim mesma.

E de fato causei. Porque em muitas vidas que se seguiram, vivi num emaranhado de profunda escuridão. Porque não pensem vocês, meus amados, que o inferno é um lugar que exista apenas nos mundos espirituais inferiores. Porque existem muitas situações e muitas pessoas encarnadas que vivem em verdadeiros infernos. No convívio com as pessoas, mas, principalmente interiormente.

O inferno é um lugar da emoção. O inferno é o lugar das emoções mal resolvidas.
Dos sentimentos não verbalizados. Da pouca amplidão da faixa vibratória do amor.
Do silêncio daqueles que estão doentes. Da raiva daqueles que não sabem expressar.

E eu me comprometi. Nos mundos espirituais, servindo a energia da Grande Mãe, da essência de todas as
mulheres, fazer o resgate de almas que chamassem pelo o meu nome.




Eu permiti que a minha história fosse contada. E em muitas ocasiões, fui contando trechos de tudo o que eu vivi. Pra que as pessoas se inspirassem, naquilo que eu fui e naquilo que eu sou.

E eu venho hoje, como uma mãe, em muitos lugares. Para acolher as minhas filhas e os meus filhos. Para trazer, a cada um deles, a consciência de que devem se amar e se valorizar como seres de luz que são.

E eu posso mergulhar nos mundos abismais do sentimento, da emoção, porque eu sei como eles funcionam. Porque eu já vivi nesses lugares. Porque eu já fui assim. Porque ainda sei transitar pela dor.

E o que faço? Eu faço brilhar a esperança no coração das mulheres. Eu atuo no psiquismo das mulheres, nas emoções, pra fazê-las se sentirem belas.

E aí, os grupos que por aí existem, podem usar os artifícios para trazer um pouco mais de leveza ao


pensamento, a palavra, a face, ao rosto... Mas a minha energia não precisa de nada disso. Porque eu transito livre. Eu não pertenço a esses limitantes. E esses limitantes não pertencem a mim.

Eu tenho uma função. A função de ser uma guardiã. De cuidar das pessoas. E cuido, com profundo encontro com aquilo que vocês são com o mundo pequeno que vocês têm em suas cabeças e em seus corações. Porque só pode ter verdadeira e profunda compaixão, quem conhece e quem viveu essas mazelas.

E é aí que acontece o meu resgate. Resgato os corações. Carrego os sentimentos em minhas mãos. Sei amar porque já amei e já errei.

Acreditem em você mesmos, sempre. E vivam as experiências de amor, de troca, de cumplicidade. E vivam os erros também, porque faz parte. É todo o aprendizado que vocês precisam.

E quando forem tocados pela energia do amor, acolham a beleza do amor. Acolham a plenitude do sentimento do amor.

Eu estou à espera de todos aqueles que queiram pegar na minha mão e tocar na minha energia.





A serviço da evolução, de todos daqueles que querem crescer no amor e na luz... A serviço da Loja Branca, Eu Sou Maria Padilha e trago na sintonia da Mãe, a força do feminino em mim.

Acredito no Bem. E sei que todos àqueles que acreditam no Bem, se transformam no Bem, porque este foi o meu percurso.

Tenham Paz.


_________________________________________________________________________

Nome de Referência: Nem anjo, nem demônio.


Mentora: Maria Padinha
Data: 11/09/2013
Local: Espaço Alpha Lux
Canal: Maria Silvia Orlovas
Transcrição: Patrícia Viégas
Edição: Diogo Guedes
Áudio: ALPHA LUX 32 ANO 15