Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O KALI YUGA

O KALI YUGA

O ultimo ciclo de uma grande era ou yuga, na cosmologia hindu; considerada a era dos conflitos ou das trevas, quando prevalecem as brigas, a discórdia e a deterioração moral. As escrituras hindus descrevem o Kali yuga (pelo qual estamos atualmente passando), como caracterizada por cobiça, luxuria, desilusão, doenças fatais, fome constante, revoluções, guerras, desrespeito pelas escrituras, decadência moral e pelos verdadeiros sábios e práticas de religiões ritualísticas ao invés de espiritualidade.

Yugas, são ciclos de Inspiração e expiração de Deus. Na cosmologia hindu, o universo está continuamente em evolução através de ciclos periódicos de criação e dissolução. Criação é dito que ocorre durante a expiração de Deus da Criação, Brahma; dissolução ocorre durante a sua inspiração.

Cada criação do mundo evolui através dos quatro yugas, ou eras, que são as menores unidades no ciclo cósmico hindu. Estas quatro idades são Satya ou Krita, Treta, Dvapara e Kali, a primeira idade começa em perfeição e a cada sucessão diminui em extensão e aumenta em suas degradações. A duração combinada de todos os quatro tempos é dito ser 4,320 milhões anos.

Para um cálculo diferente da duração dos yugas, consulte Swami Sri Yukteswar, "La Ciência Sagrada", da Self-Realization Fellowship - www.omnisciencia.com.br/ciencia-sagrada.html,

De acordo com uma tradição, o ciclo de quatro yugas, conhecido como Mahayuga, é repetido 1000 vezes, formando-se assim um ciclo maior ou kalpa, o que constitui um ciclo cósmico completo desde o de origem até a destruição de um sistema mundial. Um kalpa é um dia na vida de Brahma.

É durante o dia de Brahma que o mundo manifesto evolui. Cada dia é seguido pela noite de Brahma durante o qual toda a matéria do universo é absorvida pelo espírito universal. Este período de destruição, ou involução, é chamado de Pralaya. A matéria é novamente formada após este ciclo, continuando a evoluir durante cada dia de Brahma e dissolver durante a noite dele. A vida de Brahma é concebida como sendo 100 anos cósmicos, uma vasta extensão de tempo calculado como 311.040.000.000.000 anos solares, o maior dos ciclos cósmicos.

Ao final da vida de Brahma, há a "Grande Dissolução", ou Mahâpralaya, o período da destruição de todo o universo. Continuando no padrão dos ciclos, depois de um período de descanso Brahma renasce e os ciclos de criação começam novamente.

A escritura hindu Yoga-Vasishtha, apresenta uma visão diferente da natureza cíclica do universo, ensina que os ciclos de involução e evolução estão em andamento; diferentes sistemas de mundos podem estar em diferentes fases desses ciclos simultaneamente e nunca há um ponto quando cessa toda a criação de uma vez, como na grande dissolução.

Do dicionário esotérico do Grupo de Estudos Virtual EUSOULUZ
www.grandefraternidadebranca.com.br