Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

terça-feira, 16 de junho de 2015

UM NOVO MODELO DE EDUCAÇÃO PARA A HUMANIDADE:



Todos os seres humanos são criativos as nascer. Se você não acredita em mim, peço-lhe para recordar quando você era uma criança. Você não amava pintar, dançar e cantar ? Você não gostava de entrar em mundos imaginários que você conjurava em sua cabeça ? As crianças são naturalmente criativas. É uma das coisas que nos torna humanos. O problema é que temos sido manipulados para esquecer a nossa criatividade conforme nós crescemos e ficamos mais velhos. O problema é que temos sido doutrinados por um “sistema de educação”.

O sistema de ensino deve sofrer uma grande mudança de paradigma. Há muito tempo ele está preso na idade das trevas. Os professores ainda estão em pé na frente da sala de aula regurgitando informações, em grande parte sem sentido, obedecendo o esquema emburrecedor de ensino. As escolas incentivam a concorrência, a aceitação, a obediência e a padronização, enquanto também se engajam na supressão dos nossos impulsos criativos naturais e faculdades de pensamento crítico. As crianças são moldadas e condicionadas dentro de um modelo de fábrica da educação para serem abelhas operárias e nunca questionar o sistema que não se importa com a evolução humana. Como resultado, nossa espécie está estagnada. A fim de alcançar a próxima fase de nossa evolução, o sistema educacional deve passar por uma revolução.

Artigo Relacionado: Ensinando as Crianças Como Pensar em Vez do Que Pensar
“Você nunca muda as coisas lutando contra a realidade existente. Para mudar alguma coisa, construa um novo modelo tornando obsoleto o modelo existente”. ~Buckminster Fuller
O Modelo de Seis Dimensões

Há cerca de 10 meses atrás eu tive um despertar profundo e muito súbito, provocado pela percepção de que a humanidade estava em rota de colisão com ela mesma. Foi neste momento que eu decidi que precisava dedicar minha vida para mudar o sistema de educação. Como Fuller, eu pensei que era muito mais pragmático limpar a lousa e começar de novo, do que tentar consertar os vazamentos do sistema antigo, então quero explicar o que eu chamo de: “O Modelo de Seis Dimensões”.

Sem nenhuma ordem particular, estas são as seis dimensões: Auto-descoberta, Questionamento, Sustentabilidade, Inovação, Comunicação e Empatia.
Auto-Descoberta

A primeira das seis dimensões é centrada no crescimento interno e pessoal da criança individualmente. As crianças terão acesso a todas as avenidas de descoberta que desejarem, de práticas artísticas a técnicas para esportes, atividades ao ar livre e tudo o mais que desejarem.

Brincadeiras criativas farão parte de cada dia, os alunos receberão livremente informações sobre uma ampla gama de ferramentas criativas e recursos de como desenhar, construir, inventar, compor, projetar, imaginar e experimentar conforme o desejo do seu coração. Os professores vão ter tempo para conhecer cada criança em um nível pessoal e farão todos os esforços para descobrir e incentivar habilidades naturais, paixões e interesses de cada criança.

Crianças de todas as idades vão tomar parte em práticas de meditação e atenção plena para ajudá-las a se alinhar com a essência que elas são, ajudando-as a encontrarem o caminho que desejam seguir em suas vidas. Esta não será uma prática obrigatória, mas em vez disto será algo que o sistema escolar vai incentivar muito como uma ferramenta de autodescoberta.
Questionamento

Esta dimensão é tudo sobre fornecer aos alunos as ferramentas e recursos para serem pensadores críticos e completamente independentes para discernirem a informação através de uma abordagem investigativa. O papel do professor deixará de ser o de um “repetidor de informações” para ser um facilitador do diálogo aberto. Métodos tradicionais de ensino vão abrir caminho para mais orientação ao estilo socrático, que envolve os estudantes sondarem e desafiarem através de um processo de questionamento aberto. É nomeado de orientação socrática após o filósofo ateniense Sócrates sabiamente dizer: “Eu não posso ensinar nada a ninguém. Eu só posso fazê-lo pensar”.

As escolas não vão ensinar uma única versão da história. Em vez disso, as crianças vão investigar as evidências de um número diferentes de perspectivas, relatos alternativos da história não serão removidos ou esquecidos. Elas vão confrontar e pesar as evidências antes de chegar as suas próprias conclusões. Diferenças de opinião serão encorajadas criando uma separação necessária da mentalidade do pensamento de grupo orwelliano de rebanho. A filosofia também será ensinada como parte desta dimensão, oferecendo aos alunos a capacidade de desafiar os seus próprios sistemas de crenças rígidas e se abrirem a diferentes pontos de vista e perspectivas. A sala de aula será um lugar onde as crianças realmente se sentirão com a liberdade de questionar tudo e ter suas opiniões respeitadas, não importando o que essas observações podem ser.

As doutrinas religiosas serão abolidas, pois não têm lugar em um sistema de educação moderno. A discussão aberta da religião dentro de um contexto filosófico será incentivada, no entanto, será valorizado somente como um discurso.
Sustentabilidade

Atualmente o sistema de educação não leva nossa realidade ambiental suficientemente a sério. A sustentabilidade deve ser o foco principal de qualquer novo sistema. Com o desmatamento catastrófico das florestas no planeta, os lixões de plástico nos oceanos, a poluição na nossa atmosfera, o deslocamento e destruição dos nossos ecossistemas, a ameaça de radiação nuclear e agora o saque e a pilhagem das regiões árticas, é fundamental que nossas crianças tenham conhecimento da verdade sobre o nosso impacto real e duradouro no meio ambiente.

Os alunos aprenderão tudo sobre gestão de recursos/resíduos de forma inteligente e eficaz, irão interagir com novas tecnologias de energia em todas as suas formas e terão poderes para se tornarem solucionadores de problemas em relação às crises ambientais que enfrentamos em nosso planeta. A imersão na natureza será parte integrante deste modelo, já que é crucial nós recuperarmos a nossa conexão com a Terra e com toda a vida nela. O objetivo será o de conseguir com que as crianças saiam da sala de aula tradicional tanto quanto possível, interagindo com uma variedade de ambientes para se adequarem ao contexto da aprendizagem.

As crianças também terão as habilidades para se tornarem autosustentáveis. Isto significa que aprenderão como cultivar seu próprio alimento, como produzir sua própria energia, como construir uma casa que pode suportar os elementos e todas as outras habilidades úteis da vida real, permitindo total autonomia sobre suas próprias vidas. O objetivo é fornecer aos jovens a liberdade de não depender de qualquer sistema que faz tudo por eles. Será mostrado a elas como fazer escolhas acertadas para a sua saúde e bem-estar, através de uma boa alimentação, exercício físico regular e meditação. Mais uma vez, será de responsabilidade dos filhos cuidar de sua própria vitalidade e nada disso será forçado sobre eles.
Inovação

Os maiores feitos da humanidade em criatividade e progresso sempre nasceram de ideias não convencionais. Pensar fora da caixa estará profundamente enraizado na filosofia de um novo sistema de ensino. As escolas colocarão uma grande ênfase no pensamento divergente, isto é, pensar que não necessariamente existe uma resposta certa, clara ou errada para um determinado problema. Estratégias de pensamentos divergentes permitem as crianças aguçarem a sua inteligência criativa natural, para que elas possam alcançar seu potencial mais elevado como inovadores do futuro.

Toda competição desnecessária na sala de aula será substituída pelo ensino e aprendizagem de práticas colaborativas. O nosso potencial humano é muito maior quando trabalhamos em conjunto do que quando trabalhamos individualmente ou em desacordo com o outro. Devemos educar nossas crianças em um ambiente centrado em princípios de colaboração e orientadas para a comunidade para que eles possam crescer ajudando a criar um mundo melhor e mais justo como uma realidade para toda a espécie.

A matemática será uma via opcional além do nível elementar/preliminar. Ela vai se tornar um estudo significativo e altamente relevante no que diz respeito à sua aplicação no mundo real. Os alunos também vão descobrir sobre os princípios sagrados geométricos relacionados com a natureza, seu uso na construção de antigas civilizações e do próprio Universo.

A educação científica terá uma mudança saindo do materialismo reducionista e seguindo para os fenômenos não físicos e a física quântica. Isso não quer dizer que o sistema de ensino vai abandonar a ciência material, mas em vez disso irá estender seu alcance além dos limites tradicionais para incluir um estudo daquilo que não podemos perceber normalmente com os cinco sentidos. Toda essa exploração irá ocorrer através da investigação experimental e investigativa com a aplicação de método científico.
Comunicação

Este modelo de educação visa manter nossas línguas nativas e reconhece que a diversidade cultural é necessária em um mundo próspero. Dito isto, todas as línguas serão ensinadas permitindo que todas as raças, culturas e povos se conectem facilmente via linguagem escrita e falada.

A alfabetização e o aprendizado da linguagem continuarão a ser uma pedra angular do sistema de ensino a nível elementar, mas será voluntária a nível secundário. Assim que uma criança pode ler fluentemente e obter a sua mensagem de forma eficaz, já não é uma necessidade absoluta ela prosseguir o avanço dessas habilidades, a menos que ela escolha um caminho que exige estas habilidades. Por exemplo, os engenheiros, enfermeiros e dançarinos do mundo provavelmente vão preferir usar esse tempo para desenvolver habilidades em outras áreas.

A educação midiática será ministrada em torno da idade de dez anos. As crianças serão expostas a todos os tipos de mídia para aprender a pensar criticamente sobre as técnicas de persuasão e controle mental. Elas serão capazes de ler nas entrelinhas, reconhecer linguagem manipuladora e subliminar, dissecando a propaganda em todas as suas formas. Essas habilidades são essenciais se queremos educar nossas crianças para manterem o domínio sobre suas próprias mentes.

Os alunos também aprenderão a reconhecer emoções e linguagem corporal, aplicando esta compreensão para a gestão das relações sociais no seu próprio crescimento pessoal. Ao se tornarem conscientes de suas emoções, eles serão capazes de minimizar os conflitos, tanto interna como externamente.
Empatia

A última das seis dimensões, é tudo sobre trazer a verdadeira conexão humana para as escolas. É tão importante que as futuras gerações aprendam a valorizar toda a vida no planeta, de modo que a nossa espécie não continue a perpetuar o círculo vicioso de guerra, opressão e conflito que tem causado um grau inconcebível de dor e sofrimento.

A fim de evoluir, devemos unir todas as cores, raças e remover todas as barreiras de separação. O fervor nacionalista será eliminado. Não haverá nenhum juramento de lealdade. Não haverá pedagogias etnocêntricas. O sistema de ensino terá uma abordagem holística, planetária, trabalhando com a filosofia fundamental de que SOMOS TODOS UM.

As escolas vão funcionar como comunidades reais em vez das instituições que elas são atualmente. As crianças serão valorizadas, respeitadas e verdadeiramente com importantes papéis de responsabilidade na escola. Elas também serão incentivadas a se envolver em atos aleatórios de bondade dentro e fora da sala de aula, agindo com compaixão e decência humana em tudo o que elas disserem e fizerem. As crianças vão aprender estratégias de empatia para ajudar os que estão enfrentando turbulência psicológica, física ou emocional, que pode ser tão simples como sentar em silêncio com eles e compartilhar sua dor, ou um abraço sincero. Os professores terão a liberdade e flexibilidade para estabelecer uma conexão humana com todas as crianças sob sua proteção. As crianças já não se sentirão alienadas pelo sistema de ensino, mas amadas, compreendidas, com suas habilidades incentivadas e desenvolvidas.

O modelo de seis dimensões trará o equilíbrio tão necessário de volta ao nosso sistema de ensino, ajudando os alunos a desenvolverem tanto o lado esquerdo quanto o lado direito do cérebro, permitindo as mesmas oportunidades para todos atingirem o seu potencial mais elevado. Há muito mais neste projeto, incluindo a estrutura e implementação que tenho escrito com grandes detalhes no meu livro, “Revolução na Educação“, mas este artigo deve fornecer uma ideia bem clara do âmbito de aplicação desta visão. Se este é o tipo de sistema de educação você quer ver para as futuras gerações, então vamos apertar o botão de reset juntos !
Revolução na Educação

Algo está muito errado com o nosso sistema de ensino. Estão dizendo às crianças o que pensar, quando deveriam estar ensinando-lhes como pensar. As escolas são lugares de doutrinação e restrição, quando deveriam ser lugares de inspiração e motivação. A criatividade deve ser cultivada, não suprimida.

“Revolução na Educação” se atreve a chamá-lo para ajudar a repensar o sistema de ensino. Ao longo do livro, Stanton aborda uma ampla gama de questões controversas desde a necessidade desesperada de pensamento crítico em nossas escolas em vez da alienação de nossas mentes brilhantes. Ele dá um passo para fora da caixa e mostra que a educação está realmente destruindo as futuras gerações de seres humanos, adotando uma abordagem baseada em soluções para estes problemas, oferecendo um modelo inteiramente novo para a educação que ele chama de “O Modelo das Seis Gerações”.

O paradigma deve mudar. A humanidade precisa evoluir…

©Will Stanton

Origem: wakeup-world

Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível