Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

sábado, 5 de março de 2016

A IDENTIDADE ESPIRITUAL E A MISSÃO DO PAPA FRANCISCO E DE CHICO XAVIER:








Relatar a missão e também a identidade espiritual do Papa Francisco foi uma das questões fundamentais que os guardiões Anik e Jeremias trouxeram até mim quando surgiu o projeto do livro “Armagedoom 2036”projetado para complementar os relatos trazidos no livro “Brasil o Lírio das Américas” e também proporcionar uma visão sintetizada sobre todo o estudo a respeito de 2036 e que foi esmiuçado no livro “A Bíblia no 3º Milênio”


Abordar encarnações anteriores de uma personalidade conhecida é normalmente um tema delicado que quase sempre gera debates intermináveis e muitas vezes visões apaixonadas por determinada opinião, como, por exemplo, acontece no debate entre aqueles que acreditam que Chico e Kardec são o mesmo espírito e aqueles que crêem que os dois baluartes do Espiritismo são espíritos diferentes.


É sempre importante ressaltar que mesmo os médiuns mais experientes, sejam projetores ou psicógrafos, sempre colocarão alguma interferência pessoal, anímica na comunicação, sobretudo se o teor da mensagem estiver diretamente ligado a uma crença pessoal do médium. É por essa razão que devemos sempre analisar a lógica dos argumentos expostos, do teor da mensagem e não simplesmente aceitar uma informação porque foi o médium “A” ou “B” que a trouxe, muitas vezes sendo necessário deixar que a mensagem fique em “banho Maria”: nem acreditando e nem desacreditando, até que maiores subsídios e indícios pautados na lógica e na razão possam confirmar o conteúdo de uma mensagem.


Justamente por pensar dessa maneira é que eu gosto tanto do estudo do tema profético, pois os erros e acertos são confirmados em tempo real e quanto mais acertos e menos erros um médium demonstra ao prever o futuro, mais capacitado ele se mostra para ler o passado, demonstrando que realmente pode acessar o Akasha com o mínimo de animismo possível.


Quando alguns médiuns disseram, antes do fim de 2012, que adentraríamos em uma nova era em 2012, ou que em 2012 “Nibiru” adentraria o sistema solar passando próximo a Marte eles não apenas mostraram que estavam influenciando animicamente uma mensagem sobre o futuro, como também poderiam influenciar animicamente uma mensagem sobre o passado, um nível de animismo que pode ser muito grande caso o número de erros sobre previsões a respeito do futuro seja exponencialmente maior que o número de acertos.


Por essa razão é sempre bom pesquisarmos e, ainda mais os médiuns comunicantes, refletirmos se a mensagem que estamos passando é mais da crença pessoal do que verdadeiramente uma comunicação mediúnica. Não basta o médium sentir uma energia diferente, mudar o tom de voz ou os trejeitos da fala, sendo claramente influenciado por uma entidade extracorpórea se o seu próprio psiquismo estiver se sobrepondo a comunicação da entidade.


Costumo dizer que a experiência espiritual ou mediúnica é essencialmente emocional, sentimental, mas a sua análise (não apenas do médium, mas daqueles que recebem a mensagem) deve ser estritamente racional, não com o objetivo de estimular incredulidade ou excessivo ceticismo, mas sim uma adequada filtragem e percepção do que realmente é conteúdo pessoal do psiquismo do médium, o que realmente é conteúdo mediúnico e, sobretudo o que é um conteúdo mediúnico relevante


É importante verificar dois filtros quando analisarmos uma informação a respeito de uma encarnação pretérita de uma personalidade conhecida:


Primeiro filtro: A mensagem apresenta argumentos lógicos e racionais para explicar porque aquele espírito foi determinada personalidade do passado em uma linguagem clara, simples e direta, sem rodeios.


Segundo filtro: O médium que trouxe a mensagem já demonstrou verdadeira capacidade em acessar o akasha ou de criar um intercâmbio claro com espíritos capazes de acessar informações sobre o futuro (afinal se ele tem boa capacidade para enxergar o passado necessariamente precisa ter para acessar o futuro) em porcentagem suficiente que os acertos superem de forma vasta os equívocos, mostrando clareza em acessar o akasha, seja de forma direta ou através de um espírito comunicante com essa capacidade e que consiga transmitir claramente tais informações ao médium.







Previsões cumpridas:
http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/2015/12/previsoes-cumpridas-e-relatos.html


Dito isso precisamos refletir e em muitos casos, como dito, deixar a informação em “banho maria”. Há, por exemplo, duas menções bem distintas sobre a encarnação de Kardec nos tempos de Jesus: o espírito de Estevão pelo médium Robson Pinheiro nos informa que o nobre codificador foi o apóstolo Pedro na obra “Mulheres do Evangelho”. Já o conde de Rochester na obra “Herculanum” na pena de Wera Krijanowsky afirma que Kardec foi o centurião Quinto Cornélio.


No caso do espírito de Paulo, o apóstolo dos gentios, há ainda a questão que é difundida na Grande Fraternidade Branca que um dos mestres ascensos, Hilarion, seria o mesmo Paulo da época dos primeiros cristãos.


Então como analisar a afirmativa que o atual pontífice, como expus no livro “Armagedoom 2036” é Paulo de Tarso reencarnado? A resposta é muito simples: só existem três possibilidades: Ou Paulo é Hilarion, ou Paulo é o atual papa Francisco ou Paulo não é nenhuma dessas duas personalidades, da mesma forma que ou Kardec foi um centurião nos tempos de Jesus, ou foi o apóstolo Pedro ou foi outra personalidade que poderia estar, inclusive, no mundo espiritual naquela época, simples assim. É dessa forma simples e racional que analisamos uma informação.





Sabendo de tudo isso eu procurei junto aos amigos espirituais o maior número possível de confirmações, lógicas e racionais, que embasassem a informação sobre a identidade espiritual do atual pontífice, pois do contrário nem eu mesmo aceitaria colocar tal informação em um livro.


Nas linhas a seguir, o relato que está contido no livro “Armagedoom 2036” com o intuito de explicar a nobre missão dos dois apóstolos do Cristo desde a vinda de Jesus até o auge da Transição Planetária.



Sobre as encarnações de Chico Xavier, algumas questões e perguntas mais freqüentes são respondidas no texto e comentários do link a seguir:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036/photos/a.366298710058766.83206.360490373972933/1049078868447410/?type=3&theater




A IDENTIDADE DE FRANCISCO







– Certamente – falou-me tranquilamente – Você bem sabe que segundo o último capítulo do evangelho de João, durante o último dos quarenta dias que esteve ressuscitado antes de ascender aos céus, Jesus prometeu que retornaria enquanto João Evangelista estivesse vivo...


– Sim, o Mestre assim o fez décadas depois, quando João estava preso na pedregosa ilha de Patmos e foi arrebatado em uma viagem astral ao encontro de Jesus para receber as informações que transcreveria literalmente no livro do Apocalipse, como ditas pelo próprio Galileu – respondi


– Pois bem, José. Nesse intervalo de algumas décadas Jesus inspirou os seus discípulos, mesmo que não o pudesse fazer da forma direta como durante a realização do livro do Apocalipse. Notadamente o seu discípulo mais atuante e aquele que escreveu o maior número de textos exortando muitos dos ideais do Cristo, intuído por almas elevadas diretamente ligadas a Jesus, foi Paulo de Tarso.


– Certamente, muitos dos textos bíblicos foram escritos por Paulo – concordei


– Há muito que você e muitos amigos espíritas já sabem ou pressentem – prosseguiu de forma alegre – ainda que para muitos seja informação de difícil assimilação, que o discípulo amado João Evangelista reencarnou-se posteriormente em duas oportunidades especiais, numa delas para reavivar os ideais de humildade no seio da Igreja, na personalidade de Francisco de Assis, dando origem à ordem dos franciscanos e uma vez mais, com o objetivo de fazer florescer os ideais de amor e humildade no seio do Espiritismo, ao mesmo tempo aproximando a doutrina da nação católica brasileira, com o seu exemplo de perseverança na simplicidade e fé franciscana as quais ele viveu ao longo de toda a sua jornada na Terra.


Sorri para a altiva guardiã, com duas lágrimas nos olhos, relembrando o privilégio que o Brasil teve ao viver por tantos anos com o mais humilde dos apóstolos do Cristo encarnado entre nós.


Percebendo minha emoção a qual ela também compartilhava, Anik trouxe a reveladora informação:


– Pouco mais de três séculos após a vinda de Francisco de Assis, Jesus novamente requisitou entre os seus discípulos mais experientes alguém que pudesse, novamente, relembrar os ideais de simplicidade e desapego dos luxos e riquezas no seio da Igreja. – completou de forma enigmática sabendo qual seria a minha resposta:


– Sim, Lutero, o reformador, combateu o comércio das indulgências, quase 350 anos após a vinda de Francisco de Assis – respondi


– Exatamente José. Quando Jesus realizou aquela convocação, Paulo aceitou a missão e reencarnou como Lutero, o reformador. Dois dos principais discípulos do Cristo, João Evangelista e Paulo de Tarso, receberam como missão ajudar o Velho Continente e assim em épocas próximas reencarnaram, como Francisco de Assis e Lutero, ambos combatendo os luxos e as extravagâncias da Igreja Romana, ao relembrarem os ensinamentos do Rabi da Galiléia.


Enquanto eu refletia, a guardiã russa prosseguiu com novas revelações:


– Próximo do auge dos eventos profetizados por Jesus na Bíblia, com o inevitável resgate kármico que a Igreja Romana vivenciará através da sua sede no Vaticano, por conta dos crimes cometidos ao longo de vários séculos e por ainda insistir no acúmulo de riquezas e de uma vida de luxo que não condiz com a mensagem evangélica e exemplo de vida do Cristo, a Espiritualidade Superior planejou uma operação para os momentos decisivos antes do ápice, um período de cem anos, a partir de 1936 iniciar o florescimento de novos valores dentro da comunidade cristã, bem como a aproximação dos seus diferentes ramos ideológicos.


– A encarnação do Chico – eu respondi tentando completar o raciocínio da guardiã – contribuiu não apenas para a expansão do Espiritismo no Brasil, como também uma grande aproximação com a maior nação católica do mundo, resgatando muito do conhecimento do Cristianismo Primitivo.


– A maior concentração de cristãos do planeta – prosseguiu de forma serena e didática com o raciocínio – está exatamente nas Américas, por esse motivo a Espiritualidade Superior precisava estruturar três situações nesse período de cem anos, entre 1936 e 2036 para que pudesse avançar com importantes transformações no seio da comunidade cristã planetária. A primeira delas, você mencionou, foi a aproximação do conhecimento espírita com a nação católica brasileira. As noções desse contato espiritual, apesar de serem mais místicas, também ocorrem em outras nações católicas das Américas como o México, muito em parte pela forte ancestralidade indígena muito presente na egrégora espiritual desses povos. A segunda situação que precisava de uma estruturação era a aproximação entre católicos e protestantes, criando assim uma maior unificação entre os cristãos das Américas, em sua parte católica mais ao Sul e sua parte protestante mais ao Norte.


– E qual seria a terceira situação? – perguntei curioso para Anik


– A terceira tarefa é aproximar o mundo cristão ocidental das Américas ao mundo católico oriental – respondeu com uma expressão otimista


– Então foi por esse motivo que os guardiões iniciaram o cronograma das ações (O cronograma completo está no capítulo V do livro Brasil o Lírio das Américas, a partir da página 153.) de saneamento astral exatamente na América e em seguida, a partir de 2018, na Rússia, a maior nação cristã católica do oriente! – conclui empolgado com o planejamento estratégico da Espiritualidade Superior







Com uma expressão um pouco mais séria, a guardiã esclareceu algo importante:


– Tanto as Olimpíadas em 2016 em uma cidade da América do Sul, o Rio de Janeiro, como a Copa do Mundo em 2018, na Rússia, foram planejadas com o objetivo de aproximar esses dois mundos, ainda que até o último momento as entidades trevosas tentem interferir, com o objetivo de afastar uma aproximação da Rússia, pois os magos negros sabem que o equilíbrio nas relações entre a Rússia e o mundo ocidental, sobretudo com os Estados Unidos é um entrave para o fortalecimento da grande força do terror, profetizada há séculos na imagem bíblica de um gigantesco exército de duzentos milhões que unirá o exército chinês e aliados do Oriente e Médio Oriente, notadamente a ala radical islâmica. Apesar de todo esse cenário, foi exatamente o desejo de união entre esses dois mundos cristãos que uniu os dez membros do Stargate e do Drakon e é por isso que eles estão colaborando com os guardiões, tanto nas questões relativas ao planejamento espiritual dos eventos que ocorrerão na preparação e durante os jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, como na Copa do Mundo na Rússia.


– Isso é fantástico Anik! É uma luz no meio da escuridão dessa nova guerra fria entre russos e americanos! – exclamei feliz diante daquelas informações encorajadoras.


– Pois é querido amigo, por todas essas razões o Cristo convocou novamente seus dois apóstolos mais atuantes para uma missão regeneradora junto a Igreja Católica, só que desta vez ao invés da Europa, João Evangelista e Paulo de Tarso encarnariam na América do Sul, em terras muito próximas, com papéis decisivos nos cem anos finais da Transição Planetária.


Se a Francisco de Assis redivivo – ela revelou – coube colaborar na aproximação de católicos e espíritas na maior nação católica do planeta, a Lutero reencarnado coube a missão de unir o mundo católico com o mundo protestante.


A conclusão era óbvia: a guardiã ruiva estava dizendo pra mim, com todas as letras em um forte sotaque russo, que Paulo de Tarso, o apóstolo dos gentios, havia sido não apenas o Lutero que deu início a Reforma Protestante, como também era o atual patrono da Igreja Católica, o papa Francisco. Respirei fundo, já antevendo a celeuma que este relato traria quando fosse materializado no livro e após digerir aquela informação pedi maiores esclarecimento à Anik:


– Quais detalhes você poderia me acrescentar para confirmar o teor de toda essa narrativa?


Compreendendo a relevância daquele questionamento, a guardiã trouxe mais algumas considerações sobre o tema, com o objetivo de esclarecer qualquer dúvida que ainda existisse:


– Observe algo interessante José: No seu primeiro discurso como papa eleito, assim como em diversas outras oportunidades, Francisco fez um pedido reiteradamente...


– “Orem por mim” – completei a frase


– Exato José – falou de forma tranqüila enquanto media minhas reações no campo energético – nas Escrituras o apóstolo dos gentios pediu várias vezes nos relatos escritos em suas epístolas a mesma coisa: “orem por mim”. Um desses relatos está exatamente em Efésios:


"E orai também por mim, para que me seja dado anunciar corajosamente o mistério do Evangelho, do qual eu sou embaixador, prisioneiro. E que eu saiba apregoá-lo publicamente, e com desassombro, como é meu dever!” (Efésios 6:19-20)


Posteriormente àquela explicação, após encerrada a experiência projetiva, eu pesquisei na internet e encontrei, como indicado pela guardiã, várias passagens bíblicas atestando o mesmo pedido de Paulo em suas cartas, algo realmente impressionante. Transcrevendo as informações ainda “vivas” no limiar do subconsciente e do consciente, rememorei mais alguns apontamentos interessantes trazidos por Anik:


– Antes da conversão aos ideais do Cristo, Saulo de Tarso era um contumaz perseguidor dos seguidores do Galileu e pelas suas mãos muitos cristãos foram condenados, inclusive pela morte através da crucificação, castigo que era imposto para delitos graves a todo cidadão que não fosse romano. Na Crucificação, devido à defeituosa respiração, os pulmões da vítima começavam a ter colapsos em pequenas áreas causando falta de ar. Começava a partir desse ponto a fase em que líquidos se acumulavam no pulmão, causando o comprometimento do músculo cardíaco, hemorragia e morte por asfixia. Agora observe a sabedoria da justiça e da misericórdia divina meu querido amigo: da mesma maneira que Deus não impediu o resgate kármico de Elias, que após degolar centenas de sacerdotes de Baal, retornou a vida física como João Batista e desencarnou decapitado, Deus também permitiu que Paulo, arrependido pelos seus delitos pretéritos antes da sua conversão no caminho de Damasco pudesse também resgatar os seus karmas junto aos seus irmãos cristãos.


– Com certeza – respondi enquanto refletia por um momento – certamente Paulo resgataria esses karmas quando estivesse reencarnado como Lutero e como Jorge Bergoglio.


– Pois bem José – respondeu-me com um sorriso de contentamento ao explicar a lógica inexorável da lei do karma ao longo das encarnações – após cumprir a sua missão na Terra como o Reformador, Lutero faleceu de uma súbita angina pulmonar, causando uma sensação semelhante, ainda que mais rápida e menos intensa, àquela dos crucificados. Após o seu desencarne ele foi recepcionado por muitos dos crucificados condenados pelo antigo apóstolo dos gentios, recebendo deles a informação que o seu karma junto a Justiça Divina estava definitivamente resgatado.


– Caramba Anik – balbuciei espantado – mas se Paulo de Tarso já havia resgatado seus débitos kármicos, porque ele precisou vivenciar novamente um problema pulmonar na sua atual encarnação, como o papa Francisco?


Sorrindo diante da minha inesgotável curiosidade e ceticismo, a guardiã russa pacientemente esclareceu a questão:


– Você bem sabe que muitos espíritos de elevação moral que precisam encarnar em missão na Terra estão conscientes dos grandes desafios e tentações da vida carnal em um mundo expiatório. A grande maioria pede a permissão da Espiritualidade Superior para receber moléstias físicas para motivar, muitas vezes pela dor, uma maior conexão com a fé e a espiritualidade evitando desta forma desvios através dos instintos e gozos da vida física, que muitas vezes podem causar o comprometimento de uma missão, fazendo com que o espírito se esqueça por completo da sua missão e mergulhe, de corpo físico e espiritual, no completo embotamento dos sentidos da alma na matéria.


– É verdade Anik, segundo eu me lembro, esse pedido ocorreu em uma das encarnações de Frei Fabiano de Cristo, quando ele foi o padre Anchieta. Desde a juventude ele sofria com um sério problema de coluna, o que motivava profundas orações todos os dias. O próprio Francisco de Assis quando encarnado jogava-se aos espinhos sempre que sentia as forças hormonais do corpo físico sobrepujarem o equilíbrio espiritual que a tanto custo ele conquistara. Mesmo para os espíritos em elevada missão espiritual, a carne por si só é uma grande provação.


Satisfeita com o meu raciocínio, a guardiã prosseguiu com novas explicações, enquanto eu recordava rapidamente que Frei Fabiano de Cristo havia sido nos tempos do Cristo o médico Lucas, autor do Evangelho homônimo e dos Atos dos Apóstolos, o que explicava o fato de Frei Fabiano presidir toda a equipe médica do Dr. Fritz e colaborar pessoalmente nas atividades dessa equipe com os guardiões e outras equipes, ligadas a Fraternidade espiritual do Sol e da Lua:


– Ciente da importante missão que precisaria desempenhar o apóstolo dos gentios pediu aos emissários do Cristo que na sua nova encarnação ele retornasse novamente com uma marca no pulmão e assim sempre recordasse a missão a ele confiada. Encarnado e ainda muito jovem, a enfermidade provacional foi desencadeada pelos médicos do mundo espiritual. Muito doente, ele recebeu o diagnóstico que indicou uma pneumonia grave, aos 21 anos, com três cistos no pulmão.


O futuro papa – relatou emocionada – passou alguns dias em agonia, tendo visões sobre o seu passado como perseguidor dos cristãos e um forte sentimento de que precisaria ser útil a reforma da Igreja. Recebeu os cuidados espirituais do seu antigo amigo Lucas, na forma do bondoso frei Fabiano, que ao mesmo tempo enquanto realizava o tratamento espiritual fortalecia os ideais de simplicidade e humildade franciscana, ao futuro pontífice argentino.


A doença – ela prosseguiu – foi controlada e depois de um tempo Bergoglio foi submetido a uma cirurgia para remover a parte superior do pulmão direito, a cicatriz que ele guarda como a marca da crucificação próxima do seu coração.


Enquanto eu permanecia ainda fortemente impactado por toda a energia daquele relato, Anik trouxe as considerações finais sobre a impressionante revelação da personalidade espiritual do atual papa Francisco:


Grande reformador do Cristianismo, Lutero lutou contra diversos dogmas da Igreja em sua época, sobretudo o comércio de indulgências que representava a venda de benesses, baseadas na suposta autoridade divina da Igreja, em troca de dinheiro dos fiéis. Curiosamente antes de Lutero o ramo católico que mais combateu tal prática foi a ordem dos franciscanos.


Boa parte do seu estudo teológico esteve sustentado nas indicações contidas nas obras de Paulo, sobretudo a carta aos Romanos contida na Bíblia.


Assim como Paulo de Tarso lutou contra a autoridade romana e em prol dos cristãos primitivos após a sua conversão no caminho de Damasco, Lutero também lutou contra os abusos da Igreja Romana, sendo que ambos tinham profunda ligação com Roma: Paulo era um cidadão romano (e por esse motivo não foi morto por crucificação e sim decapitado), enquanto Lutero era um monge agostiniano e teólogo da Igreja, nascido no império Romano.


Outro ponto interessante entre Paulo de Tarso e Lutero é que Paulo, antes da sua conversão, era um caçador de cristãos ligado ao grupo dos fariseus do Sinédrio, notadamente conhecidos pelo apego ao luxo, riquezas materiais e posições sociais. Após sua conversão, Paulo passou a combater esse comportamento dos fariseus, algo muito presente nos textos bíblicos que ele escreveu e tal sentimento permaneceu quando reencarnou como Lutero, que ainda trazia grande aversão ao antigo grupo que pertencera no passado, afirmando que os judeus deveriam ter todas as suas riquezas confiscadas e suas sinagogas queimadas.


No momento atual, nos últimos anos da Era de expiação, inúmeras profecias trazidas por homens de grande valor, como Malaquias, Dom Bosco e João XXIII, além do capítulo 17 do livro do Apocalipse, revelam claramente que Francisco é o último papa, aquele que irá presenciar a queda de Roma e da Igreja Romana em um profundo processo de transformação no seio do mundo Cristão.


Era necessária a vinda de um espírito que pudesse unir o mundo Cristão, notadamente católicos e protestantes, alguém que pudesse realizar as reformas necessárias dentro da Igreja Romana, uma alma com forte espírito pastoral, mas ao mesmo tempo de grande fibra para encarar os graves desafios que a Igreja Romana enfrentará muito em breve, como vaticinado nas profecias.


Agora encarnado como papa Francisco, o antigo apóstolo dos gentios e o reformador da Igreja, ele terá novamente a missão de tornar a Igreja mais humilde, menos presa aos luxos e ostentações das riquezas materiais que acumulou em vários séculos. Terá também a oportunidade de colaborar na valorização da mulher dentro do mundo católico.


Agradecido por todas aquelas informações, pedi mentalmente em oração a frei Fabiano que eu pudesse transcrever da melhor maneira possível todos aqueles relatos impressionantes." (Livro "Armagedoom 2036" página, 100 à 113)



.



Temos assim a lista com as principais encarnações destes dois espíritos observando as informações trazidas neste post a respeito da missão de ambos na Transição Planetária:


Chico Xavier: Profeta Daniel, apóstolo João Evangelista, Francisco de Assis e Sr.a Japhet


Papa Francisco: Paulo de Tarso e Lutero




Fanpage Profecias o Ápice em 2036 no Facebook:
https://www.facebook.com/josemaria.alencastro2036


Fórum Profecias 2036:
http://www.profecias2036.com.br/forum/



Read more: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com/#ixzz422mzJbsZ