Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

UMA GRADE INVISÍVEL SE ESTENDE POR TODO O NOSSO PLANETA - O QUE ELA FAZ VAI SURPREENDER VOCÊ




Existe uma “Grade de Energia” invisível em torno do planeta ? Uma grade que mantêm o segredo da obtenção de energia que pode ser usada para o bem ou para o mal ?

Nikola Tesla disse uma vez: “Se você quiser descobrir os segredos do Universo, pense em termos de energia, frequência e vibração.”

Hoje sabemos que Tesla estava certo. A física quântica tem demonstrado que toda a matéria em seu núcleo subatômico é realmente energia. Isso inclui tanto a vida senciente, como objetos inanimados e as partículas do espaço. A matéria é de fato, energia.

Na sua (aparentemente) forma sólida, a matéria também emite energia, como inúmeros estudos têm demonstrado. E quando se trata de matéria que emite energia, nenhuma pode ser mais importante para nós entendermos do que uma grade energética. Uma grade que rodeia a Terra.

Porque isto é importante ? Porque se a Terra emite energia ao longo de linhas específicas e nos pontos de cruzamento ela pode ser aproveitada pelos seres humanos, aqueles conscientes deste poder estão em uma clara vantagem sobre aqueles que permanecem ignorantes.
Mais do Que se vê

Tal como acontece com muitos “mistérios não resolvidos”, a noção de uma grade que circunda a Terra tem polarizado especialistas e descrentes em dois campos distintos: Os defensores e os que negam. Enquanto os defensores argumentam que existe ampla evidência para provar a realidade das grades energéticas, os que negam categorizam a teoria como outro elemento popular dos teóricos da conspiração.

Mas mesmo se os pensadores tradicionais descartassem a própria existência de uma grade, um exame mais detalhado indica que existe muito mais do que o olho consegue ver.
As “Linhas Ley” e os Centros de Energia Pré-históricos

As linhas que compõem esta grade são muitas vezes referidas como “Linhas Ley” e quando nós as estudamos de perto, descobrimos que os seres humanos ao longo da história parecem ter estado bem cientes de sua existência, graças ao muitos locais antigos encontrados ao longo delas.

O termo “Ley” vem do anglo-saxão, que significa “tiras limpas de terra” ou “prados”. Mas estas linhas a que nos referimos são essencialmente energéticas e existem se a Terra está sem a sua cobertura vegetal, ou não.

Todas as linhas de energia se encontram em pontos de intersecção formando uma matriz ou grade em todo o planeta. Estes pontos da grade, de acordo com os estudiosos são os “pontos de energia” mais fortes na Terra. Aparentemente, muitos dos nossos antepassados também pensavam assim uma vez que locais sagrados como Hentges, montes megálitos, pirâmides, vórtices de energia famosos e até mesmo catedrais estão frequentemente localizados diretamente sobre estes pontos de energia em forma de cruz.

Na verdade, o mapeamento da grade nos mostra que muitos dos locais mais famosos do mundo ficam sobre os pontos de encontro das linhas Ley. Machu Picchu, as Pirâmides de Gizé, a ilha de Páscoa, Puma Punku, Lhasa no Tibet, as antigas ruínas de Mohenjo Daro, Findhorn na Escócia, o Triângulo das Bermudas, os vórtices no Arizona, Angkor Wat, as Linhas de Nazca, numerosos obeliscos e as estruturas sagradas abobadadas ao redor do mundo todo atestam a possibilidade muito real de que algo além do mundo visível está envolvido aqui.

Exatamente como os nossos antepassados sabiam sobre estas linhas poderá permanecer um mistério para sempre, mas o que podemos deduzir a partir de hoje com o nosso próprio conhecimento, revela informações que podem ajudar poderosamente o planeta ou prejudicá-lo profundamente durante estes tempos muito críticos.
Uma Pseudociência ou um Fato dos Sólidos Platônico ?

De acordo com o pensamento dominante da “ciência”, o estudo de uma grade planetária é considerado uma “pseudociência”. No entanto, quando olhamos para a precisão matemática relacionada com essa grade e sua relação com os padrões e temas refletidos na Geometria Sagrada, um significado além do pensamento científico materialista começa a emergir.

Platão admitiu a existência das grades e formulou uma teoria afirmando que a estrutura de base do planeta evoluiu geometricamente: desde as formas mais simples até as mais complexas.

Não é nenhuma surpresa que essas formas são hoje conhecidas como os “sólidos platônico” e incluem o seguinte: o cubo, o tetraedro, octaedro, o dodecaedro e o icosaedro.

Segundo a teoria de Platão, estas grades de energia ao redor da Terra evoluíram através de cada uma das formas ao longo do tempo, com a mais complexa se sobrepondo sobre a sua antecessora. O resultado é um campo abrangente que constitui a base energética da Terra. Uma energia de acordo com Platão, que literalmente mantém a Terra coesa.
O início da Identificação das Linhas Ley

Em 1921, Alfred Watkins, um pioneiro Inglês de fotografia percebeu algo que chamou de “inundação de Memória Ancestral” enquanto olhava para um mapa da paisagem rural de Herefordshire.

Watkins percebeu que inúmeros locais pré-históricos tais como pedras eretas, montes funerários de terra, montes de terra pré-históricos e outras características estavam em linha reta que se estendiam por quilômetros em todo o país. Watkins passou muitos anos estudando estes alinhamentos, tanto no solo como em mapas.

Ele tirou fotografias, escreveu livros e deu palestras. Em resposta ao seu trabalho, especialmente do seu livro mais importante, “As Antigas Faixas Reta” (1925), um grupo de pessoas em toda a Grã-Bretanha criou o que chamaram de “Clube da Faixa Reta”. Este grupo realizou pesquisa de campo em toda a Grã-Bretanha, à procura de alinhamentos de sites e restos de antigas faixas retas que encontraram.

A partir da década de 1960 a pesquisa de Alfred foi não só estudada como modificada por outros. Um deles foi Tony Wedd, um ex-piloto da Força Aérea Real. Wedd acreditava que as linhas serviam para uma função totalmente diferente. Ou seja: as “linhas cruzadas” eram usadas como locais de pouso de OVNIs. A hipótese de Wedd inspirou outras investigações ao longo dos anos 1960 em uma escala global, estudando a saída de energia ao longo das linhas Ley.
Vórtices Infames

Como se vê, existem vários mapas diferentes da grade das linhas Ley. A variedade pode ser atribuída a diferentes investigadores ao longo do século 20. Todos eles no entanto, tiraram suas conclusões a partir das geometrias fundamentais dos sólidos platônicos.

Bill Becker e Bethe Hagens, por exemplo, realizaram uma extensa pesquisa sobre as linhas Ley. Sua revisão do código de posições terrestres dos sólidos platônicos foi baseada na obra de Ivan P. Sanderson. Sanderson foi o primeiro a argumentar que a forma icosaedro era evidente e funcionava em todo o planeta.

Sanderson identificou o que ele chamou de “Vórtices Infames” geometricamente distribuídos em 12 locais chave em todo o planeta. Todos estes locais compartilham algo semelhante, qualidades maioritariamente negativas. Os mais famosos entre eles são o Triângulo das Bermudas e o Mar do Diabo.

Becker e Hagens utilizaram na maior parte do tempo o mapa da grade planetária inicialmente traçado pela equipe russa de Goncharov, Morozov e Makarov. A equipe russa organizou a grade de forma diferente de Sanderson, baseando-se em vez disto na relação entre a Grande Pirâmide de Gizé e o axial dos polos norte e sul.

No entanto, Becker e Hagens acreditavam que a versão russa estava incompleta. Isso os levou a teorizar e traçar uma nova variação mais complexa da grade da Terra, com base no poliedro icosaédrico esférico de R. Buckminster Fuller.
Descrença Oficial das Linhas Ley

Apesar de especialistas como Dan Shaw, Nassim Haramein, Becker e Hagens, Sanderson e os russos realizarem diversas investigações sobre as Ley linhas a “ciência” tradicional não reconhece formalmente a sua existência ou influência.

Isto pode ser devido a uma agenda oculta ? Uma forma de manter escondido tal conhecimento do público ?

Como a investigação em tais áreas não é apoiada pelo financiamento do sistema vigente, vai ser difícil esta “ciência” confirmar o potencial das linhas Ley. Sobre a existência de energias sutis ao longo da grade das linhas Ley da Terra, de que maneira é possível a humanidade consciente utilizar este poder para o bem maior ? Até o apoio e financiamento para esta investigação se tornar disponível, isto é uma incógnita.

©Adil Amarsi e Dawn Delvecchio

Origem: http://in5d.com/an-invisible-grid-stretches-across-our-planet-what-it-does-will-amaze-you/

Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível