Criei este Blog para minha Mãe Cigana Rainha do Oriente, sendo uma forma de homenageá-la, bem como postar assuntos atuais e de caráter edificante, lindas mensagens, poesias de luz, também aqui brindemos á amizade verdadeira e elevemos o principal em nós ou seja a essência Divina, Deus e a Espiritualidade em geral.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

O VATICANO ESTÁ ESCONDENDO CONHECIMENTO SAGRADO QUE CONTRIBUI PARA A EVOLUÇÃO FÍSICA E ESPIRITUAL DA HUMANIDADE?








Existe um órgão em seu cérebro, que acomoda sua alma ? Isto pode ser a resposta.
Jeff Roberts
24 de agosto de 2014

“A luz do corpo é o olho: se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será cheio de luz …”
Mateus 6:22-23
Um portal entre o físico e o metafísico ?Situada no centro anatômico do cérebro encontra-se uma glândula misteriosa que pode ser o portão intermediário que preenche as nossas experiências físicas e espirituais aqui na Terra, no século XVII o filósofo francês René Descartes cunhou este órgão chamado glândula pineal de “sede da alma”, como ele acreditava que fornecia as pessoas um meio a partir do qual a nossa alma podia se expressar através da nossa fisicalidade, a glândula pineal tem sido tema de grande debate nos últimos 20 anos, a comunidade científica ainda está tentando descobrir sua função biológica completa, o Dr. Rick Strassman, MD, autor de DMT: A Molécula Do Espírito, dedicou anos pesquisando a glândula pineal, ele sugere que esta glândula produz uma substância química poderosa no cérebro chamada DMT (Di-Metil Triptamina), que quando produzida induz na pessoa uma experiência psicodélica e mística.



Muitas culturas diferentes falam sobre o nosso “terceiro olho” e as teorias modernas sugerem que isto pode ser uma referência para a glândula pineal, ainda mais peculiar é o fato de que a simbologia da glândula pineal pode ser atribuída a muitas civilizações como os romanos, os mexicanos, egípcios, babilônios e gregos, é interessante notar que mesmo a igreja católica apresenta imagens da glândula pineal, na praça do Vaticano esta é a maior estátua de glândula pineal do mundo, então, o que pode tudo isso significar ? Existe conhecimento antigo dessa glândula que as culturas anteriores tiveram acesso ? Além disso, qual o papel que joga a glândula pineal em nossas experiências espirituais e como podemos explicar isto em termos fisiológicos ?
Um dos primeiros relatos sobre a glândula pineal está nos escritos do século III do médico grego chamado Herófilo, onde ele discute o piniform ou órgão em forma de pinha como sendo do tamanho da unha do nosso dedo mindinho, o nome vem da palavra em latim pinea que significa literalmente “pinha”, como mencionado anteriormente a glândula fica no centro geométrico aproximado da massa cerebral, além disso a glândula não é tecnicamente parte do cérebro porque não é protegida pela barreira sangue-cérebro, em seu livro DMT: A Molécula do espírito, o Dr. Rick Strassman discute o estado solitário único da glândula dentro do cérebro.

“[...] Todos os outros locais do cérebro estão emparelhados, o que significa que eles têm homólogos esquerda e direita, por exemplo são lobos frontais direito e esquerdo, lobos temporais esquerdo e direito, como o único órgão não pareado no interior do cérebro a glândula pineal permaneceu uma curiosidade anatômica por quase dois mil anos, ninguém no oeste tinha alguma ideia de qual era a sua função “. ~ Dr. Rick StrassmanAlém disso, a glândula pineal fica perto dos centros sensoriais e emocionais do cérebro, o que poderia explicar por que experiências espirituais podem evocar tanta emoção e sensação, no século 17 Rene Descartes estava procurando a fonte dos nossos pensamentos e propôs que o órgão pineal solitário poderia ser o gerador, Descartes estava interessado na localização da pineal em relação aos caminhos do líquido cefalorraquidiano e sugeriu que quando a glândula pineal “secretava nossos pensamentos” eles se moviam através do líquido cefalorraquidiano seguindo o seu caminho até o cérebro.

O terceiro olhoO best-seller do New York Times “The Source Field Investigations” de David Wilcock discute a ideia de que a glândula pineal é o nosso “terceiro olho” que nos fornece recursos visuais psicodélicos, durante experiências de quase morte (EQM) e também enquanto sonhamos, demonstrando evidências biológicas para apoiar esta afirmação.

“[...] É evidente que existem várias relações entre a glândula pineal e a retina, as semelhanças no desenvolvimento e morfologia tem sido óbvias a muitos anos…. Apesar da glândula pineal dos mamíferos ser considerada apenas indiretamente fotossensível, a presença de proteínas na glândula pineal que estão normalmente envolvidas na transdução de foto-[detecção de luz] na retina, levanta a possibilidade de que os eventos fóticos diretos podem ocorrer na glândula pineal dos mamíferos… ” ~David Wilcock


Esta ideia tornou-se uma teoria comum em pesquisas da glândula pineal, a glândula pineal parece estar configurada para a transdução de sinal assim como a retina do olho quando ele capta imagens visuais e as envia para o cérebro,os cientistas sugerem que o interior da glândula pineal é completamente preto, mas devemos questionar por que nosso corpo criaria este terceiro olho com células de detecção de luz se não havia luz a ser detectada lá, poderiam as imagens que são criadas quando sonhamos ou durante uma experiência fora-do-corpo virem das células fóticas dentro da glândula pineal ?

A molécula do espíritoStrassman propõe que uma molécula psicodélica potente chamada DMT é produzida pela glândula pineal, esta molécula é encontrada inata na natureza, também em certas ervas e raízes de árvores e até mesmo em nosso próprio corpo, a experiência provocada em seres humanos que consomem formas isoladas de DMT é dito ser profundamente viva, espiritual, gerando uma mudança de vida, a produção de DMT pela pineal deve ser aceita como plausível, considerando que a glândula pineal é conhecida por produzir melatonina e serotonina, dois neurotransmissores que são estruturalmente muito semelhantes a DMT e que desempenham um papel em nossos ciclos de sono e de disposição.

Glândula pineal simbolismo ao longo da históriaPara aumentar o mistério vamos considerar o simbolismo da glândula pineal em flagrantes que se expressam na arte sacra e arquitetura em todo o mundo, como mencionado anteriormente a palavra pineal vem de uma palavra do Latim que significa “pinha”, portanto, a pinha foi usada para representar a glândula pineal ao longo da história, no livro “The Source Field Investigations” Wilcock dedica um capítulo inteiro à glândula pineal e sua representação ao longo da história, a seguir são apenas alguns exemplos do livro.

“[...] Uma escultura de bronze de uma mão do culto misterioso de Dionísio no final do Império Romano tem uma pinha no polegar no meio de outros símbolos estranhos.
Um deus mexicano tem pinhas e um pinheiro em uma escultura.
Uma equipe do deus egípcio Osíris no museu em Turino na Itália, tem duas “serpentes kundalini” que se entrelaçam juntas e enfrentam uma pinha no topo.
O assírio/babilônico deus alado Tamuz é retratado segurando uma pinha.
O deus grego Dionísio carrega um cajado com uma pinha em cima.
O papa católico carrega um cajado com uma pinha diretamente acima onde a mão é posicionada.
A maior escultura de pinha do mundo é destaque no Vaticano na corte da pinha.
A máscara de sepultamento de ouro do rei Tut´s apresenta uma “serpente kundalini” emergindo da área geral da glândula pineal na testa.
Quase todos os deuses e deusas hindus são retratados com um bindi, ou terceiro olho entre as sobrancelhas.
A estátua do deus Quetzalcoatl mesoamericano tem a forma da glândula pineal e contém um colar no pescoço de Quetzalcoatl, que é feita de pinhas… ” ~ David Wilcock




Vaticano – Corte da Pinha





papa segurando uma estátua com a pinha – simbolismo







Estátua de Quetzalcoatl
Talvez um dos fatos mais preocupantes é o quanto a igreja católica promove imagens da pinha, é claro que isto era um símbolo de extrema importância para os pais da igreja primitiva, considerando que o Vaticano colocou uma estátua gigante da praça, o Vaticano está escondendo conhecimento sagrado que contribui para a evolução física e espiritual da humanidade ? Wilcock investiga mais sobre o assunto em seu livro, descrevendo a história da glândula pineal.

[...] A República (Livro VII), “a alma através destas disciplinas tem um órgão purificado e iluminado, um órgão melhor que vale a pena salvar mais do que dez mil olhos corporais, uma vez que a verdade se torna visível através dele” ~ Platão
“[...] Os hindus ensinam que a glândula pineal é o terceiro olho, o chamado olho de Dangma, ele é chamado pelos budistas do olho que tudo vê, e é falado no cristianismo como o único olho… [A glândula pineal] é um órgão espiritual que mais tarde está destinado a ser o que era antes, ou seja, um elo de ligação entre o humano e o divino… ” ~ Manly Palmer HallÉ evidente que a glândula pineal tem sido o foco ao longo da história, com filosofias de todas as culturas discutindo este órgão em relação à jornada para alcançar a iluminação espiritual, a glândula pineal é a nossa conexão com o divino proporcionando-nos visões durante muitas experiências metafísicas, a próxima questão que se coloca, por que está sendo mantido em segredo ? As teorias modernas sugerem que as “escolas de mistérios” que se mantiveram em segredo por milênios escondem o conhecimento da glândula pineal que muitas civilizações antigas compreendiam e essas sociedades secretas estão escondendo esta informação do público em geral para terem mais poder e controle.

Limpando seu terceiro olho e reclamando o seu potencialCom esta informação em mente vamos olhar para o efeito que o meio ambiente e a dieta têm na nossa glândula pineal, como mencionado anteriormente a glândula pineal não é protegida por nossa barreira sanguínea do cérebro, o que torna o líquido dentro da glândula pineal suscetível a construção de depósitos minerais, estes minerais se acumulam como conjuntos brancos duros e podem aparecer em raios-X ou ressonância magnética, os minerais pesados e toxinas que são despejados em nossos ambientes e que são consequentemente absorvidos em nossos corpos têm um efeito retardador sobre o poder potencial da nossa glândula pineal, um dos principais produtos químicos que provocam a mineralização da nossa glândula pineal é o flúor(que é produzido de resíduos nucleares, do alumínio, de fertilizantes e fosfatados industriais), mas como muitos de nós sabemos o flúor é considerado um medicamento pelo FDA que segundo eles ajuda na prevenção da cárie dentária.



O flúor é despejado na maioria dos sistemas de distribuição de água, tornando-se cada vez mais difícil para a população evitar o consumo deste produto químico tóxico, é certo que os poderes de controle têm uma compreensão deste processo de mineralização e estão utilizando o flúor e muitas outras toxinas para debilitar o nosso verdadeiro potencial como seres humanos, em uma nota positiva no entanto, nos últimos cinco anos temos visto um aumento substancial na remoção de fluoreto da água das cidades em todo o mundo, as pessoas estão tomando de volta o poder em suas próprias mãos, o que é inspirador pelo seu próprio direito.
Agora entendemos que a glândula pineal detem os segredos para a iluminação divina que foi procurado e falado desde os primeiros relatos da humanidade, então o que podemos fazer para limpar a nossa glândula pineal ? Remover o flúor é o primeiro grande passo nesse processo, passe a mensagem em sua própria comunidade e seja a pessoa que faz a diferença, há também outros suplementos como o óleo de peixe raia azul que ajuda na descalcificação da glândula pineal.
Nosso potencial escondido agora parece infinito, uma noção que está se espalhando por todo o nosso planeta, portanto, recupere o seu potencial hoje limpando sua glândula pineal !


Nota de Cassia: Mais sobre nuticao para a Glandula Pineal em:


Nutrição para o olho da mente: Alimentos para reativar sua glândula pineal
http://novocantodeluz.blogspot.com/2014/08/nutricao-para-o-olho-da-mente-alimentos.html


11 maneiras de descalcificar a Glândula Pineal
http://novocantodeluz.blogspot.com/2014/08/11-maneiras-de-descalcificar-glandula.html




@Jeff Roberts
Origem: wakingtimes